Jornada Literária

Os últimos melhores dias da minha vida

Os últimos melhores dias da minha vida

O jornalista Gilberto Dimenstein trabalhou na Folha de São Paulo, na Rádio CBN, e fundou o portal Catraca Livre. Ele fez de “Os últimos melhores dias da minha vida” um relato autobiográfico da sua batalha contra o câncer, que tirou sua vida aos 63 anos em 2020.

É um livro inspirador, bonito e ao mesmo tempo triste. Inevitavelmente te faz pensar em como nossa existência neste planeta maluco é breve. Dimenstein contou com a ajuda da sua esposa Ana Penido, que teve a árdua tarefa de finalizar o livro e publicá-lo. Os Últimos Melhores Dias da Minha vida é uma leitura leve em alguns momentos, crua em sua essência e bastante honesta.

A partir de lembranças, depoimentos e histórias ilustradas pelo artista plástico Paulo Von Poser, Dimenstein reforça que seus últimos melhores dias não foram os únicos grandes momentos de sua vida: experimentou também inúmeras realizações profissionais, viagens, concertos inesquecíveis de música, e a alegria de ouvir o neto chamá-lo de vovô Gil pela primeira vez. Mas estes melhores dias vividos após a descoberta do câncer no pâncreas, foram os mais cúmplices, profundos e felizes de todos.

Gilberto conta que “passou a vida toda desconectado, apavorado e ansioso”, a sensação de estar vivo e de poder compartilhar a vida com as pessoas que ama, agregando novo significado à existência, se compara ao momento em que a taturana se reconhece como borboleta.

Tendo minha preferência por livros de ficção, achei uma experiência positiva encarar uma obra de não ficção com um tema tão pesado e intenso. É aquele tipo de livro que te deixa emotivo, mas mostra que ser uma pessoa melhor, ou pelo menos, viver de uma forma melhor só depende de você mesmo.

Um relato comovente e muito humano sobre a impotência do homem diante de uma doença fatal, e também sobre a possibilidade de fazer as pazes com si mesmo. Como ele próprio escreve, Gilberto não deseja o câncer a ninguém, mas sim a mudança de perspectiva que ele traz.

Os últimos melhores dias da minha vida | Gilberto Dimenstein e Anaa Penido

Veja mais: Literatura Brasileira

Sair da versão mobile